01

ANAMNESE

O Musicoterapeuta realiza uma entrevista com os responsáveis sobre o histórico de desenvolvimento do indivíduo.

02

AVALIAÇÃO INICIAL

Utiliza-se Escalas de Avaliação específicas da Musicoterapia para a demanda de autismo, que sejam validadas no Brasil, para avaliar diferentes respostas do sujeito.

03

OBSERVAÇÃO 'IN LOCO'

É importante investigar como o indivíduo se relaciona e age nos seus ambientes naturais e com as pessoas do seu ciclo de convivência.

04

DESCRIÇÃO DO PERFIL

De forma detalhada se descreve como é o perfil da pessoa na área social, comunicativa, cognitiva, comportamental e em sua musicalidade.

05

PLANO DE INTERVENÇÃO

Elabora-se as propostas musicoterapêuticas individualizadas com objetivos a curto-médio-longo prazo.

06

AÇÃO TERAPÊUTICA

Inicia-se os atendimentos com a pessoa na clínica, em domicílio ou em outro ambiente o qual ela esteja inserida. O tratamento deve ser intensivo e consistente, com periodicidade de sessões semanais condizente com a demanda e adaptada à realidade da pessoa.

07

REUNIÕES

Deve haver total parceria com a família, terapeutas, escola, trabalho e toda a rede de apoio do sujeito para um melhor prognóstico. As reuniões acontecerão conforme alguma necessidade específica, para dialogar, instruir, questionar ou definir.

08

TREINAMENTO COM RESPONSÁVEIS

Um importante pilar do tratamento é orientar as pessoas da rede de apoio do indivíduo para implementar os programas e estratégias terapêuticas, para ensiná-lo a generalizar as habilidades adquiridas na musicoterapia para seus ambientes naturais.

09

REAVALIAÇÃO

Dentro de um período de 3, 6 ou 12 meses é feita a avaliação do progresso do indivíduo, elaborado um laudo musicoterapêutico e realizada uma devolutiva com os responsáveis ou com a própria pessoa.